Posts Tagged ‘guerra fria

07
mar
09

Watchmen (Review): um Diretor Visionário com ótimos atores na mão…

510806193_183f9aaf99
Créditos da foto: donjopi3 – Por que a Ironia? Simples: imdb nota 8.5 é puro Hype

Review sem spoilers

Continue lendo ‘Watchmen (Review): um Diretor Visionário com ótimos atores na mão…’

05
dez
08

Figurinha 8: General Jorge Rafael Videla – Presidente da Argentina

General Jorge Rafael Videla

General Jorge Rafael Videla – Presidente da Argentina

América do Sul

Continue lendo ‘Figurinha 8: General Jorge Rafael Videla – Presidente da Argentina’

01
nov
08

Figurinha 7: Anastasio Somoza, pai e filho – Presidentes da Nicarágua

Anastasio Somoza Sr. e Jr.

Anastasio Somoza Sr. e Jr. – Presidentes da Nicarágua

América Central

Veja o original em inglês //

Os Marines invadiram a Nicaragua em 1912 e lá permaneceram até 1933, lutando mas nunca derrubando o Revolucionário Augusto Sandino.

Eles criaram a Guardia Nacional de Nicaragua e instalaram Anastasio Somoza Garcia no poder. Então Sandino, que tinha assinado uma trégua e abaixado a guarda, foi assassinado por Somoza.

Em 1935, o General Smedley Butler, que liderou os Marines dentro da Nicarágua, afirmou: “[Eu fui] um guarda-costas de alta competencia para os grandes negócios, para Wall Street e para os bancos. Por pouco tempo, eu fui um extorsionário para o Capitalismo – ajudei a purificar a Nicarágua para [uma] instituição bancária internacional.” O presidente Franklin Roosevelt pôs em outra esfera: “Somoza pode ser um filho da puta, mas é o nosso filho da puta.”

Corrupção, tortura e assassinatos brutais de dissidentes continuaram por 45 anos por duas gerações de Somozas, pois depois de Somoza Garcia ser assassinado na rua em 1956, seu filho Anastasio Somoza Debayle assumiu o poder. Os Somozas arrasaram financeiramente a Nicaragua e se tornaram milionários. Somoza filho, o vampiro ditador, acumulou 12 milhões de dólares em 1 ano comprando o sangue de seu povo e vendendo para o exterior com 300% de margem de lucro.

Mas seu maior lucro de uma vez só foi em 1972 depois de um terrremoto que vitimou centenas de milhares de nicaraguenses: Somoza teve uma ajuda internacional de 30 milhões de dólares em mercadorias e as vendeu para quem pagou mais na época.

Perto do fim de seu reinado, ele bombardeou com aviões sua própria capital para permanecer no poder, mas foi destituído por um grupo rebelde chamado Sandinistas, inspirado no herói popular assassinado por seu pai.

Links externos:
Blog pessoal
War is a Racket – Wikipedia EN
7 Dias – Nicaragua
Portal La Prensa – Nicaragua
Núcleo de Estudos Contemporâneos – Universidade Federal Fluminense
Presidencia da Nicaragua

Voltar ao Indice

01
nov
08

Figurinha 6: Coronel Hugo Banzer, Presidente da Bolivia

Coronel Hugo Banzer, Presidente da Bolivia

Coronel Hugo Banzer, Presidente da Bolivia

América do Sul

Veja o original em inglês //

Em 1964, o New York Times escreveu sobre a Bolivia: “Nenhum país no Hemisfério Ocidental (PDF) é mais dependente da ajuda de Washington e em nenhum outro lugar existe influência tão indiscreta da embaixada dos Estados Unidos para fazer valer isto”. Foi então que, em 1970, quando o presidente Juan Jose Torres nacionalizou os prédios e instalações da Gulf Oil e minas de extração de estanho de propriedade de empresas norte-americanas, e também mantendo contatos amigáveis com Cuba e a União Soviética, que estava mexendo com fogo.

O golpe para derrubar Torres, liderado por Hugo Banzer – oficial treinado pelos estados unidos e beneficiário da Gulf Oil – teve suporte direto de Washington. Quando as forças de combate de Banzer tiveram uma interrupção nas comunicações via radio, o Major da Força aérea norte-americana, Robert Lundin (PDF), colocou a frequencia da Força Aérea dos estados unidos à sua disposição.

Ao assumir o poder, Banzer começou o seu reino de terror. Escolas foram fechadas por serem consideradas berços de “agitação política subversiva provocada por anarquistas contrários à nova ordem instituída”, a embaixada da União Soviética foi fechada, e Banzer recebeu um empréstimo internacional por aliviar a situação da Golf Oil. Em 2 anos, 2,000 pessoas foram presas sem julgamento e torturadas. Como no Paraguay, Argentina e Brasil, os indios perderam território e sofreram aculturação. Milhares de sul-africanos brancos foram convidados a imigrar para o país com promessa de terras roubadas dos indígenas. O secretário de imigração Guido Strauss disse às Nações Unidas que a intenção dessa campanha era criar uma “Bolivia branca”. Quando os cléricos Católicos tentavam dar assistência aos indigenas, o regime de Banzer, com a ajuda da CIA, fomentou ataques terroristas contra eles, e este “Plano Banzer” tornou-se um modelo para ações anti-Católicas similares em toda a América Latina.

Link externos
Google Books
Coluna de Marcelo Ambrosio – Jornal do Brasil
Biografias y Vidas
Arquivo – The New York Times
Nativeweb
Infoalternativa – Portugal

Voltar ao Indice

30
out
08

Figurinha 5: General Humberto de Alencar Castello Branco – Presidente do Brasil

General Castello Branco - Presidente do Brasil

General Humberto de Alencar Castello Branco – Presidente do Brasil

América do Sul

Veja o original em inglês //

Em 1961, a revista TIME chamou o momento político do Brasil de “confuso” e disse que o país estava “também perdido em assuntos externos” (Matéria de 4 Paginas, em inglês). O que a TIME parecia alertar era que a politica do Presidente brasileiro João Goulart era inaceitável para os estados unidos na época. Goulart fez negócios com nações comunistas, apoiando o movimento trabalhista, e limitou os lucros que as empresas multinacionais podiam enviar para fora do país. Embora agentes de alta patente das agências de inteligencia dos EUA como o Adido Militar da embaixada americana no Brasil, Vernon Walters (que depois seria nomeado Diretor Adjunto da CIA), negarem a participação de tropas dos EUA no Golpe militar de 1964 que derrubou Goulart e levou ao poder o General Humberto de Alencar Castello Branco, haviam evidencias do contrário. Por exemplo, logo depois do golpe, oficiais dos EUA no Brasil requisitaram de Washington combustivel para os soldados de Castello Branco, no caso das tropas de Goulart explodirem refinarias no país.

O regime de Castello Branco foi curto porém brutal. Sindicatos trabalhistas foram extintos [PDF], críticas ao Governo se tornaram proibidas por lei, e milhares de “prováveis comunistas” (incluindo crianças) foram presos e torturados. Como no Paraguai, Argentina e Bolivia, a terra de milhares de indios nativos foi confiscada e sua cultura destruída. Links: [1][2]. Traficantes de Drogas, muitos deles ligados a oficiais militares, receberam proteção por manter interesses de segurança nacional (Nota: Leia-se como: corrupção somada a impunidade, que existe ainda hoje).

O Brasil criou alianças fortes com a Liga Mundial Anti-Comunismo e ajudou o General Videla em seu golpe militar na Argentina.

Quando Branco saiu do poder em 1967, deixou para trás uma constituição com amplos poderes para os militares e futuros presidentes, alejando qualquer esforço para a restauração da democracia.

Link externos:
Time Magazine, 08/09/1961
Operação Brother Sam – wikipedia
Operação Brother Sam – Wikipedia EN
Site pessoal de Franklin Martins
Sindicato de Ipatinga
Institulo Sócio-Ambiental
Interletras
Instituto de Estudos Sócio-Econômicos
Institulo Humanitas Unisinos

Voltar ao Indice

28
out
08

Figurinha 4: Rafael Leonidas Trujillo – Presidente da Republica Dominicana

Rafael Leonidas Trujillo

Rafael Leonidas Trujillo – Presidente da Republica Dominicana

Caribe

Veja o original em inglês //

Os estados unidos ocuparam a Republica Dominicana em 1916 e criaram a Guarda Nacional para pôr Rafael Leonidas “El Jefe” Trujillo no poder. O fato de Trujillo ter sido enquadrado em corte-marcial por sequestro e estupro em 1920 não impediu a sua escalada no poder do país ou mesmo sujar a sua relação com os EUA. Como ditador da Republica Dominicana por 30 anos, Trujillo tinha uma tendencia de se auto-promover, chamando a Capital do país, Santo Domingo, de “Cidade Trujillo” e chamando ele mesmo de Jesus Cristo. Ele tambem botava o seu carimbo em todas as coisas que fazia. Nas bombas de água mandava escreverem: “Trujillo sozinho dá água para bebermos”. Em um asilo para idosos: “Trujillo é o unico que nos dá abrigo”.

Trujillo venceu a eleição presidencial em 1930 com mais votos do que os eleitores cadastrados, mas enquanto ele fosse anti-comunista, Washington estava contente, então ele clamou pela perseguição a comunistas para fazer deportações em massa, torturas e execuções sumárias a seus opositores. Trabalhadores que pediam aumento eram taxados de “comunistas” e fuzilados no ato, assim como fazendeiros que tentavam parar o confisco de suas terras pelo governo de Trujillo. Ele chegou a controlar 80% das plantações de açúcar, usando serviço escravo de extraditados vindos do Haiti e mantendo os seus lucros altos, mas em 1937 ele decidiu culpar os trabalhadores do Haiti no país pelos preços baixos do açucar no mercado e massacrou cerca de 20,000 deles. Trujillo foi finalmente morto pela CIA em 1961, depois de tentar assassinar o presidente da Venezuela, Romulo Betancourt, por suas críticas ao Regime brutal dele na Republica Dominicana. Foi só então que, oportunamente, agentes da Marinha americana fizeram publico o fato que seu aliado no país era um convicto estuprador.

Links externos
Blog pessoal – Chile
Blog pessoal – França
Livro: A Festa do Bode – Vargas Llosa
Origem do Dia Internacional contra a violencia às mulheres
Matanza de Haitianos de 1937 – Wanda Andujar
Rápida História Politica da Repuplica Dominicada

Voltar ao Indice

28
out
08

Figurinha 3: Fulgencio Batista, Presidente de Cuba

Fulgencio Batista" title="Card 3: Cuba

Fulgencio Batista – Presidente de Cuba

Caribe

Veja o original em inglês //

O Sargento do Exército cubano Fulgencio Batista, acedeu ao poder num golpe de estado em 1933. Ele era um ditador oportunamente apoiado por Roosevelt para contra-atacar os esquerdistas que haviam derrubado o homem-forte Gerardo Machado, “o Açougueiro”. Batista ficou no poder por varios anos, até deixar o país e ir para Miami, retornando em 1952 a tempo de outro golpe de estado, contra o presidente eleito Carlos Prio Socorras. Seu novo regime foi reconhecido como governo legítimo num piscar de olhos pelo presidente Eisenhower [PDF].
Sob a tutela de de Batista, os interesses dos estados unidos foram sendo atendidos e pouco se pensava em democracia. Com o leal apoio de Batista, o chefe mafioso Meyer Lansky transformou Havana num porto internacional de comércio de drogas. Cargos de gabinete do governo eram comprados e vendidos e oficiais militares fizeram grandes fortunas com contrabando e jogos de azar. Havana se tornou um “ponto da moda” onde os mais ricos e famosos americanos tomavam seus drinks com mafiosos.

Como a desvantagem entre ricos e pobres ficava cada vez maior, a impaciente classe pobre do país só aumentava. Em 1953, Fidel Castro liderou um grupo armado de rebeldes num golpe que falhou ao Quartel Moncada. Fidel temporariamente deixou o país e Batista rechaçou a tentativa com uma vingança: a Liberdade de expressão foi diminuida e professores, advogados e pessoas publicas subversivos foram demitidos. Esquadrões da morte torturaram e mataram milhares de “comunistas”. Batista foi ajudado em sua ressureição por Lansky e outros membros do crime organizado, que acreditavam ter seus negócios em Cassinos e Tráfico de drogas ameaçados por Castro.

Apesar disso tudo, Batista continuou amigo de Eisenhower e dos EUA até ser derrubado do poder por Castro, em 1959.


Figurinha “Bônus”: Fidel Castro na Crise dos Misseis Cubanos no Governo Kennedy, por Bill Sienkiewicz

Links externos:
Emenda Platt – wikipedia
Gerardo Machado – encarta ES
Terra – Educação
La jiribilla – Cuba
Radio Habana

Voltar ao Indice




fevereiro 2017
S T Q Q S S D
« maio    
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728  

Twitter

Blog Stats

  • 40,168 hits